domingo, 25 de abril de 2010

Reações: 

Como muitos sabem, sou adoradora de música dos anos 80 e 90, amo MPB, esse gênero musical brasileiro que começou nos anos 60, escuto desde bossa-nova a rock, sou defensora da tese que as músicas de hoje em dia não ensinam nada além da pornográfia e invenções ou incentivos aos adolescentes, citando alcool, bebidas e sexo, muito sexo...
No momento o que mais toca no meu not e no meu celular é a música ZÉ NINGUÉM do Biquini Cavadão, banda de rock brasileira formada em 1983 no Rio de Janeiro, a banda fez parte da segunda geração de bandas dos anos 1980.
A música retrata a verdadeira história do Brasil, onde somos tradados como nada, fazendo reivindicações sobre a vida e perguntas fáceis, mais que na hora de responder se tornam difíceis...
A música expressa tudo...

Zé Ninguém
Biquini Cavadão
Quem foi que disse que amar é sofrer?
Quem foi que disse que Deus é brasileiro,
Que existe ordem e progresso,
Enquanto a zona corre solta no congresso?
Quem foi que disse que a justiça tarda mas não falha?
Que se eu não for um bom menino, Deus vai castigar!

Os dias passam lentos
Aos meses seguem os aumentos

Cada dia eu levo um tiro
Que sai pela culatra
Eu não sou ministro, eu não sou magnata
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Quem foi que disse que os homens nascem iguais?
Quem foi que disse que dinheiro não traz felicidade?
Se tudo aqui acaba em samba,
no país da corda bamba, querem me derrubar!!
Quem foi que disse que os homens não podem chorar?
Quem foi que disse que a vida começa aos quarenta?
A minha acabou faz tempo, agora entendo por que ....

Cada dia eu levo um tiro
Que sai pela culatra
Eu não sou ministro, eu não sou magnata
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes (4X)

Os dias passam lentos
Os dias passam lentos

Cada dia eu levo um tiro
Cada dia eu levo um tiro
Eu não sou ministro, eu não sou magnata
Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes...

Nenhum comentário:

Postar um comentário